Metodológicas-2016 Curso Agent-based modeling para Ciências Sociais
METODOLÓGICAS-2016
 
CURSOS, OFICINAS E SEMINÁRIOS METODOLÓGICOS DO CEM
 
A reflexão metodológica plural, que oferece subsídio a pesquisas multimétodos  é  uma das características centrais da produção do CEM. Em 2016, o CEM seguirá compartilhando seus avanços metodológicos em Cursos,  Seminários e  Oficinas sobre Metodologia com pesquisadores e estudantes interessados. A proposta geral é a difusão de metodologia e técnicas de pesquisa em Ciências Sociais. 
 
Próximo curso
 
Agent-based modeling para Ciências Sociais, com Davoud Taghawi-Nejad  (CEM/Cepid)
 
Objetivo: capacitar na escrita de programas de computador (na linguagem Python) que simulam a interação de indivíduos. Compreende-se que mesmo o mais simples dos comportamentos individuais pode gerar resultados agregados de extrema complexidade. Assim, "agentes" localizados no nível micro produzem propriedades emergentes presentes apenas no nível macro, formando Sistemas Complexos. 
 
A modelagem baseada em agentes (Agent-based modeling - ABM) consiste em criar modelos computacionais para os comportamentos individuais e observar quais os padrões e regularidades agregadas emergem dali. Essa estratégia é muito flexível. "Agentes" não precisam ser apenas pessoas: podem ser famílias, empresas ou até animais. O denominador comum dessa abordagem (Complexidade) é o suposto de que o todo é maior do que a soma de suas partes. Um exemplo simples é o de um formigueiro. Cada formiga individualmente toma decisões muito simples -- no entanto o formigueiro acaba por configurar cria uma sociedade extremamente complexa. Um exemplo das Ciências Sociais (com o qual será feito trabalho em sala de aula): em 1971, Thomas Schelling construiu um modelo para explicar os padrões urbanos de segregação racial nos Estados Unidos. Schelling mostrou que mesmo que cada agente individualmente seja apenas levemente racistas, é possível encontrar um alto grau de segregação.
 
De modo geral, a proposta é de tentar responder a perguntas sobre o que o resultado macroscópico de microdecisões,  ou seja, sobre como comportamentos individuais levam a uma propriedade emergente na sociedade.
 
Pré-requisitos:
1. - Domínio da língua inglesa, já que o curso será totalmente ministrado em inglês
2. - Conhecimentos de informática
Não é necessário conhecimento prévio de programação, matemática ou estatística. Mas alguma familiaridade com esses assuntos é sempre bem-vinda. 
 
Serão 24 horas de aulas, com um pequeno trabalho de programação para ser feito entre a primeira e a segunda semana. 
 
Docente: Davoud Taghawi-Nejad graduação (B.A.) em Economia pela Universidade de Bolzano (Itália), mestre (MA/DEA) pela Catholic University Louvain-La-Neuve (Bélgica) e PhD em Complexity Economics pela Universidade de Turin (Itália). Realizou estágio pós-doutoral no Massachusetts Institute of Technology (MIT), na Escola Politécnica da USP e atualmente é pesquisador pós-doutorando no CEM/Cepid.
 
Quando: (semana 1) 22, 23, 24 e (semana 2) 28, 29 e 30 de março, sempre das 9 às 13 horas
 
Local: Laboratório de informática 122. Prédio da Filosofia e das Ciências Sociais, FFLCH/USP. Av. Professor Luciano Gualberto, 315
Cidade Universitária
São Paulo - SP
 
Inscrições on line:  http://goo.gl/forms/Ga6Bv8jQfq (inscrições encerradas)

 

 
 
Licença Creative Commons
Este site do Centro de Estudos da Metrópole está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://centrodametropole.org.br/